Home » Carro » Seguro

Bati o meu carro! E agora?

Calma! Essa é uma situação que pode ser muito assustadora para algumas pessoas, mas, certamente, a primeira atitude a ser tomada após bater o carro é manter a calma e seguir alguns passos. É preciso entender que, infelizmente, os acidentes de trânsito fazem parte da rotina de muitos motoristas e, às vezes, não há o que fazer. Nem mesmo os motoristas mais cuidadosos estão livres de se envolverem em um acidente, por menor que sejam as proporções.

Mas, e depois que aconteceu um acidente, o que deve ser feito? Primeiramente, para manter a tranquilidade de todos os motoristas que trafegam com carro, é muito importante ter um seguro auto. Dessa forma, haverá proteções e coberturas contra os mais diversos acontecimentos, sejam batidas com perdas parciais, batidas com perdas totais, batidas em terceiros e por aí vai.

COTE SEGURO AUTO GRÁTIS

Se você ainda não tem seguro, aproveite e faça uma cotação agora mesmo com a Minuto Seguros, a maior corretora de seguro auto do país. São cotações online feitas em mais de 10 seguradoras para encontrar um plano adequado às suas necessidades. Clique no botão abaixo para cotar agora mesmo ou ligue grátis para 0800 773 3000 e fale com um consultor de seguros.

Seguindo com o conteúdo e com as dicas do que deve ser feito após bater o carro, entender esse passo a passo vai deixar a situação menos desgastante. Confira

Se possível, tire o carro da via

Às vezes, não será possível mover o carro, pois os danos da batida foram mais graves. Mas, se ninguém se feriu ou se os carros puderem se movimentar, estacione-os em locais seguros e que não obstruam o trânsito. Isso é importante para não causar outros acidentes com proporções ainda maiores. E, caso seja possível tirar o carro da via e isso não for feito, será considerada uma atitude passível de multa no valor de R$ 130,16, além de quatro pontos na CNH.

E se não for possível, é necessário entrar em contato diretamente com companhia de trânsito da cidade para solicitar um guincho. Agora, quem tem um seguro auto, pode ligar para a sua seguradora e solicitar o guincho. Esse contato com a seguradora é bem rápido e o mais eficiente possível, de modo que o carro não fique muito tempo na via, além de suporte ao segurado no contato.

Lembre-se, também, de sinalizar a área com o triângulo, um dos itens essenciais para ter no carro, e posicione-o a uma distância de, pelo menos, 30 metros. Assim você evita que possam haver novas colisões com o seu carro já batido. Mesmo se não for à noite, é obrigatório ligar o pisca-alerta para complementar a sinalização.

Acione a seguradora que faz a proteção do carro

Partindo do pressuposto que seguro é quase um item obrigatório em todos os carros, o próximo passo a ser dado é acionar a seguradora. A batida, caso tenha envolvido terceiros, precisa ser analisada entre os dois condutores para que ambos cheguem a um consenso de quem foi o culpado. Caso isso não seja possível, será necessário acionar a Polícia Civil ou um órgão de trânsito.

No entanto, é necessário, seja lá qual for a decisão, tirar fotos dos veículos e danos causados, do local e da posição exata dos carros no momento do acidente. Lembre-se, também, de colher os dados do outro condutor. Tudo isso são informações necessárias para serem encaminhadas à seguradora no momento de abertura de sinistro. Caso haja testemunhas no local, é recomendado que, se possível, os contatos delas sejam anotados para posteridades.

Registre todas as informações e faça um B.O (Boletim de Ocorrência)

No momento de acionar a seguradora para comunicar a batida, não é necessário fazer um B.O, mas é mais prudente e garante as informações de todas as pessoas que possam estar envolvidas no acidente. Algumas seguradoras exigem o B.O para o pagamento da indenização, por isso, fique atento às regras da sua seguradora. Quando há feridos, é obrigatório a realização do B.O.

O registro no Boletim de Ocorrência trará a versão do ocorrido para fins de preservação de direitos das duas partes. Esse documento também pode servir como uma proteção caso a outra parte registre um B.O. com versões diferentes do acidente.

Se no acidente não houve vítimas, é possível registrar o boletim em qualquer unidade da Polícia Militar ou pela internet. No momento do registro das informações, relate a cronologia do acidente, inclua os dados dos veículos, como modelo e placa, os dados dos motoristas, com nome e RG e, por fim, das testemunhas, caso tenha.

Em caso de vítimas, não se ausente, preste socorro

Se a batida foi mais séria e teve vítimas, chame o socorro médico para o atendimento dos feridos. Também lembre-se de acionar a polícia para realizar o registro da ocorrência e perícia no local. É importante sinalizar o lugar com um triângulo e pisca-alerta para evitar aglomerações e possíveis novos acidentes. Não movimente as vítimas, pois, um atendimento equivocado pode agravar as lesões.

Prestar socorro é obrigatório! Quem se omite, mais do que a penalização de acordo com o CTB (Código Brasileiro de Trânsito), de multa gravíssima e suspensão do direito de dirigir, é crime passível de detenção pelo Código Penal, assim como pelo Código de Trânsito.

Quem sofre com acidentes causados no trânsito pode –e deve – pedir a indenização do seguro DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre). Qualquer pessoa que seja vítima no trânsito tem direito a solicitar essa indenização.

Onde o carro será consertado?

Quem tem seguro e vê o seu veículo danificado, já quer saber qual é o local que será responsável por reparar os danos causados. Nesse momento, o segurado tem livre escolha para levar o carro onde quiser. Mas, existe a importância de escolher as oficinas referenciadas pelo fato delas serem avaliadas previamente pelas seguradoras e terem um controle de qualidade para realizar o conserto da melhor forma possível, dentro de um prazo justo. Os carros passarão por uma vistoria para que possa ser medido o tamanho dos danos causados ao carro.

As oficinas que são referenciadas também oferecem outros serviços, como revisão e liberação dos reparos com mais rapidez, sem mencionar o fato de que as seguradoras concedem benefícios quando o segurado escolhe a oficina referenciada para consertar o carro após a batida.

O que é necessário para realizar a vistoria após a batida do carro?

Para realizar a vistoria após a batida do carro, é necessário o número do sinistro que será passado pela seguradora, além de alguns documentos que podem variar de acordo com cada seguradora. O importante nesta etapa é manter a agilidade no envio para tornar o processo mais eficiente.

Documentos necessários em caso de perda parcial

Se a batida foi um caso de perda parcial, os documentos exigidos, em geral, são esses:

– Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (quando necessário);

– Boletim de Ocorrência da Polícia Civil (se houver vítima);

– D.U.T. (Documento Único de Transferência);

– C.N.H. (Carteira Nacional de Habilitação).

Por ser uma batida com perda parcial, o motorista deverá pagar a franquia, a parte da contribuição para a reposição do que precisou ser arrumado. Ele pode fazer o pagamento da franquia na própria oficina.

Documentos necessários em caso de perda total

Geralmente são exigidos os seguintes documentos, caso o carro tenha passado por uma batida resultando em perda total.

– Boletim de Ocorrência da Polícia Militar;

– Boletim de Ocorrência da Polícia Civil (no caso de acidente com vítima, como: atropelamento);

– D.U.T. (Documento Único de Transferência);

– C.N.H. (Carteira Nacional de Habilitação);

– Comprovante de residência;

– CPF;

– RG;

– Para veículos alienados (financiamento, consórcio ou leasing): cópia da última parcela paga para a financeira.

Quando ocorre a PT (perda total), o segurado não precisa fazer o pagamento da franquia, apenas se houver parcelas do seguro em aberto, que precisarão então ser quitadas.

4.67 / 3 votos

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *