Aqui no blog da Minuto Seguros você encontra dicas e notícias sobre seguros, carros, casas, eletrônicos, viagens e muito mais. Acesse e confira nosso conteúdo.

Dicas contra o aumento no plano de saúde empresarial

Plano de saúde empresarialO plano de saúde empresarial é um benefício visto como importante pelos colaboradores. Trata-se de uma grande vantagem, especialmente para a contratação de novos e para retenção de profissionais.

No entanto, seu uso deliberado pode trazer problemas. Todo contrato com uma empresa tem um “cálculo” chamado sinistralidade, que é medido pelos gastos com o serviço utilizado em comparação com as receitas com as mensalidades do plano. Anualmente, esse índice é revisto para julgar se o benefício ficará mais caro ou não para a empresa.

E esse reajuste pode ser feito de umas formas: individualmente, analisando as empresas isoladamente, ou como um “pool”, onde a seguradora analisa todos os clientes de um mesmo nicho e aplica o novo valor para todos.

Diante disso, é parte da missão de um negócio evitar a elevação dos custos com o plano de saúde. Uma sinistralidade altíssima pode até custar a viabilidade do benefício.

O que fazer?

Entre as maneiras de tentar frear uma iminente subida de custo, a inclusão do sistema de coparticipação é a mais comum. Esse método implica na cobrança de uma parte dos custos a cada utilização do plano de saúde.

Geralmente, aplica-se a coparticipação em cima de exames, consultas e atendimentos em pronto socorro. Cada serviço possui um valor específico que, juntos, são descontados em folha ao final do mês.

Além de ajudar a amenizar na sinistralidade, a coparticipação tem efeito de fazer com que o colaborador pense um pouco na real necessidade de usar o plano de saúde, afinal ele também irá pagar pelo atendimento, consulta ou exame.

Outra alternativa seria oferecer o sistema de contribuição. Diferente da coparticipação, neste o colaborador paga uma parte ou a totalidade do plano de saúde. Escolhida essa opção, o colaborador, ao ser desligado sem justa causa, ainda poderá manter seu plano por seis meses até dois anos e, mesmo sem vínculo, seu uso pode afetar a sinistralidade da carteira durante o período.

Conscientização é importante

É muito comum a empresa oferecer a coparticipação para seus colaboradores. Para evitar o aumento da sinistralidade, no entanto, é preciso gerar uma cultura consciente no uso do plano de saúde.

Aposte em campanhas, palestras e comunicados de conscientização. Além disso, converse sempre com sua equipe e crie esse hábito do uso moderado. No fim, todos têm a ganhar!

Deixe uma resposta

É permitido HTML básico. O seu endereço de email não será publicado.

Assinar o feed deste comentário por RSS