Aqui no blog da Minuto Seguros você encontra dicas e notícias sobre seguros, carros, casas, eletrônicos, viagens e muito mais. Acesse e confira nosso conteúdo.

Vibração no volante? Aprenda a identificar o problema e evite riscos

Carros podem ser considerados uma das melhores invenções de todos os tempos. Essa máquina realmente tem atributos que vêm sendo melhorados a cada ano com o intuito de facilitar e deixar a locomoção em ruas, avenidas e estradas muito mais cômoda. Porém, assim como qualquer outra máquina, ela precisa de cuidados especiais para que tenha um tempo de duração prolongado. Fazer a troca de óleo, calibragem de pneus e ter muito cuidado ao abastecer são apenas algumas das manutenções que o carro precisa passar para, pelo menos, garantir mais segurança ao motorista. Mas, alguns avisos são dados, e muitas vezes nem percebemos, como a vibração no volante, que pode indicar problemas significativos.

Muitas pessoas consideram que a vibração no volante é apenas decorrente do tempo e da utilização do carro, mas não é bem assim. Esse “aviso” que o veículo está mandando pode acarretar diversos problemas se não for checado o quanto antes.

E, para proteger o carro, fazer essas manutenções regulares é extremamente necessário. Isso vai garantir muito mais tranquilidade ao sair com o veículo por aí. E para se certificar de toda proteção possível, por que não fazer um seguro para o seu carro?

A Minuto Seguros oferece planos e preços adequados ao seu perfil com mais de 10 seguradoras diferentes. Faça sua cotação agora e a receba por e-mail. É de graça!

CLIQUE PARA COTAR SEGURO AUTO GRÁTIS

Vibração no volante desgasta até fisicamente

Acredite: além do perigo de andar com o carro com algum problema, essa vibração faz com que, mesmo inconscientemente, os motoristas se sintam mais cansados. A força, que na maioria das vezes é pequena para manter o volante estável, com o tempo desgasta o motorista fisicamente. Uma viagem de mais de 2 ou 3 horas, por exemplo, vai interferir no desempenho, causando dores nos braços e ombros.

Carros maiores, como SUVs, necessitam de uma força maior para mantê-los estáveis. Por isso é tão importante fazer essa análise diariamente.

Como perceber que há vibração no volante?

Isso, na verdade, é bem simples. Dirija até um lugar plano, reto e que não contenha buracos. Mantenha uma velocidade média e comece analisar. Será muito simples perceber o volante trepidando ou jogando o carro para algum dos lados, ainda mais se você não fizer força.

Caso note isso, vá ao seu mecânico o quanto antes para fazer uma checagem mais detalhada e ajustar esse problema. Em geral, isso pode ser problema de alinhamento e balanceamento. E você sabe a diferença entre essas duas manutenções? Aproveite para ler aqui.

O carro está precisando ser alinhado e balanceado

Falta de calibragens semanais, além dos constantes atritos que os pneus sofrem frequentemente por causa de buracos e desníveis, sem contar os desgastes ocasionados por excesso de calor, falta de pressão ou freadas bruscas são apenas alguns dos motivadores da falta de equilíbrio dos pneus. Para resolver esse tipo de problema, alinhar e balancear o carro é a primeira alternativa que todos os motoristas devem tomar.

O balanceamento, na verdade, é a manutenção mais importante, pois ela tem o intuito de fazer as rodas girarem sem vibrações. Isso influencia diretamente no conforto ao dirigir, garantindo a segurança necessária para guiar. O procedimento de alinhamento e balanceamento não leva mais do que uma hora e traz benefícios incríveis.

Já a parte do alinhamento serve para ajustar os ângulos das rodas, mantendo-as retas em relação ao solo e paralelas entre si. É uma manutenção importante, pois garante a estabilidade do carro em curvas e outras manobras que necessitem de maior mobilidade. Além disso, evita o desgaste irregular dos pneus e você sente a diferença no bolso!

Problemas na suspensão

Outro problema que pode ser indicado pela vibração no volante é o da suspensão. Qualquer componente do sistema de suspensão de um veículo pode causar vibrações no volante, mas, em especial, é preciso ficar de olho nos amortecedores, pivôs e barras de direção e barras estabilizadoras.

Estes componentes não só podem causar vibrações, mas também acidentes. Um amortecedor sem gás ou óleo deixará a roda do veículo à mercê das molas. Assim, quando você passar por alguma irregularidade na pista, a roda irá movimentar-se sem controle para cima e para baixo, impulsionada pela mola. Isso fará o volante vibrar… e muito!

Já no caso dos pivôs e barras estabilizadoras o problema pode não ser tão aparente. Vibrações leves e pequenos solavancos na hora de esterçar podem ser sinais que os pivôs já deram o que tinham para dar. A barra estabilizadora, se estiver torta ou mal posicionada, vai interferir diretamente da dirigibilidade do veículo, deixando o volante mais pesado em algumas curvas e até mesmo travando-o.

O mesmo acontece com as barras de direção. São elas as responsáveis por fazer o carro esterçar, mudar de direção. Qualquer problema com elas fará com que você não consiga utilizar o volante do veículo. A vibração no volante pode indicar que elas estão tortas ou prestes a se romper.

Volante tremendo o que pode ser? 

A calibragem de pneus é outro ponto que pode causar a vibração do volante. Todo carro oferece ao motorista o número preciso para a calibragem dos pneus, seja quando o carro está carregado de bagagens ou carga, com muitas pessoas ou mesmo vazio. Colocar muitas libras no pneu ou andar com ele vazio pode causar vibrações e trepidações. Mantenha a numeração de acordo com o indicado no manual.

Outro problema que pode estar relacionado com os pneus e rodas é a fixação ruim. Quando você faz a rodagem ou mesmo troca um pneu furado e não encaixa-os com precisão e força, isso pode causar instabilidade no carro e causar algumas trepidações, tanto no volante quanto no carro como um todo.

Motor do carro com problemas

Essa é uma opção que costuma ser desvendada por especialistas, pois são casos mais específicos. Mas, a vibração do volante pode estar aliada ao propulsor que não está recebendo ar ou nem gasolina o suficiente. O problema também pode estar ligado às velas ou ao fato dos cabos delas não estarem bem conectados ou estejam com algum defeito que necessite de reparo.

Os sintomas mais comuns de notar essas vibrações são em acelerações constantes. Se o caso for mais grave, o carro pode até trepidar e prejudicar ainda mais a direção. Se o caso for menos grave, estas vibrações podem ser sentidas no volante especialmente se o carro tiver direção hidráulica. Isso porque a bomba de óleo que alimenta o sistema passará a ter mau funcionamento devido às falhas do motor.

Freios com problemas

Você notou o problema ao pisar no freio? Certamente a vibração no volante está atrelada aos rotores. E esse tipo de problema precisa ser resolvido o quanto antes, pois, quanto mais o motorista forçar para frear o carro, maior a chance dos freios superaquecerem, fazendo com que os rotores cedam e até quebrem.

Neste caso, as vibrações no volante podem ser causadas especialmente pelo empenamento do disco de freio ou – caso bem mais raro – quando um pedaço da pastilha de freio se solta, causando desequilíbrio na força com que o disco é pressionado e ocasionando a vibração.

Leve o carro até um mecânico de confiança, pois essas são peças que estão ligadas diretamente à segurança do veículo. Provavelmente você terá que fazer o passe ou até a troca dos discos e tambores, dependendo do tipo de freio que o modelo do seu carro utiliza.

Eixo com problemas

Um carro roda perfeitamente devido aos eixos. Se eles estão com algum problema, sinais irão aparecer, como a vibração no volante. Esses componentes não necessariamente podem estar desgastados devido ao tempo. Eles podem ser danificados em uma batida ou colisão.

Em altas velocidades, o volante começa a trepidar, pois essa é uma parte importante e responsável por transferir a potência do motor para as rodas, fazendo rotações bem rápidas. Caso essa parte não esteja em perfeito funcionamento, o eixo vibrará quando o carro estiver em movimento. Esse problema costuma revelar o “passado oculto” de muitos carros usados, quando os ex-donos se acidentaram antes de vendê-lo e não repassam a informação para quem compra o veículo.

Outra peça que pode causar vibração no volante é a homocinética, mas quando ela estiver desgastada ou danificada, seja pelo desgaste natural da peça, seja pela ação da poeira das ruas ou outros tipos de sujeiras, você escutará um barulho como se um pedaço de metal estivesse se rompendo conforme a roda gira.

Seu carro está com vibrações no volante? Fique atento e siga nossas dicas, elas podem evitar dores de cabeça futuras e até mesmo acidentes. Compartilhe com seus amigos, quem sabe eles também não estão com o mesmo problema?

4 Respotas para “Vibração no volante? Aprenda a identificar o problema e evite riscos”

  1. Ricardo

    Boa tarde meu Carro é Jeep Grande cherokee 2003, ele apresenta trepitação no volante quando o pneu do lado do motorista passa por um buraco, já m orientaram trocar os amortecedores e já fiz, mas até aqui o problema continua. O que faço? Obrigado.

    Responder
    • Minuto Seguros

      Ricardo, nós indicamos que você procure uma concessionária autorizada da Jeep. Lá eles indicaram com mais assertividade o que pode ser.

      Responder
    • marcos

      voce trocou junto com o amortecedor o coxin caso seu carro tenha? o meu tava assim tambem (fiat) ai quando troquei o mesmo parou.

      Responder
  2. Nildo

    O meu dirijo normal em alta, mas em alguns momentos em baixa ao tirar o pé do acelerador ele treme, mas não é sempre.

    Responder

Deixe uma resposta

É permitido HTML básico. O seu endereço de email não será publicado.

Assinar o feed deste comentário por RSS