Aqui no blog da Minuto Seguros você encontra dicas e notícias sobre seguros, carros, casas, eletrônicos, viagens e muito mais. Acesse e confira nosso conteúdo.

O que influencia no valor do seguro auto?

O valor do seguro autoNa hora de calcular o valor de um seguro auto, as seguradoras levam em conta algumas informações úteis. Explicamos abaixo um pouco mais sobre esse processo para que você entenda como ele funciona.

Perfil do Cliente

As primeiras informações pedidas em um formulário de cotação tratam exatamente do futuro segurado.

O histórico do cliente é um exemplo. Se ele nunca se envolveu em sinistros (acidentes, roubos de veículos não segurados, etc.), seu seguro pode sair mais barato do que o de um condutor que já passou por esses eventos no passado.

Além disso, consideram-se outros pontos como:

– Idade e Sexo: as mulheres e os mais velhos costumam pagar mais barato no seguro. Em uma avaliação média, eles tendem a ser mais cautelosos ao volante.

– Pessoas casadas também apresentam um comportamento mais prudente. Portanto tendem a pagar menos que os solteiros.

– Tempo de habilitação: de forma geral, motoristas mais experientes se envolvem em menos acidentes, quando comparados com pessoas com pouco tempo de habilitação.

Utilização

Além dos dados do cliente, as seguradoras buscam entender como o carro é utilizado regularmente.

– Exposição: onde o veículo fica estacionado? Em local fechado ou na rua? A exposição ao risco de acidentes, roubos ou furtos influencia no valor do seguro.

– Condução: na hora da cotação, é preciso informar quem serão os condutores do carro a ser segurado. Um pai com filho jovem, que também dirige o veículo, pode pagar muito mais no seguro, por exemplo.

Região de circulação

Essa exposição ao risco também tem relação direta com a região e cidade de circulação do carro. Pessoas que residem e circulam por locais com mais incidência de acidentes, roubo ou furto de veículos, pagarão mais pelo seguro. Os grandes centros são os campeões.

O Veículo

O próprio carro tem influencia no valor do seguro. Veja algumas variáveis que fazem a diferença no momento do cálculo do prêmio:

– As seguradoras também levam em conta qual o custo de reparo para o veículo. Se as peças não são baratas, o seguro deverá sofrer uma alteração.

– Estatisticamente, seu carro é alvo de roubos e furtos? Fazer parte da lista dos mais visados pelos bandidos afeta bastante, assim como a região de circulação.

– Alarmes, bloqueadores e rastreadores são equipamentos que ajudam a evitar o roubo e furto, além de ajudar na recuperação dos veículos. Por isso, quem tem esses equipamentos poderá ter descontos no seguro.

Coberturas e Limites

Além de tudo isso que já mencionamos, o valor do seguro também sofrerá influência das coberturas contratadas e seus limites. Um seguro completo, isto é, com mais coberturas e assistências, naturalmente custará mais que um com coberturas mais básicas.

Estas e muitas outras questões são levadas em conta na hora de fechar o valor, por isso é tão importante preencher corretamente o formulário de cotação com dados reais, para que você não seja surpreendido no momento do resultado.

10 Respotas para “O que influencia no valor do seguro auto?”

  1. Umberto

    deveriam avaliar tambem a qualidade do veiculo (marca) ,pois tem muito a ver com manutenção e ou nessecidade da mesma!

    Responder
  2. Jose militao rodrigues da silva

    Acredito que muitos fatores devem ser observados pelos responsáveis no momento de vigência de um contrato de seguro de seguro de auto, senão vejamos: Marca do veículo, valor, ano de fabricação, utilização do mesmo no cotidiano, pessoas que conduzem o veículo, perfil do motorista principal, território de circulação do veículo, horário de circulação, finalidade dos deslocamentos do veículo, quilometragem diária, etc.
    Com essas informações o valor do seguro poderá ser calculado de forma justa para ambas as partes.

    Atenciosamente

    José Militão R. da Silva

    Responder
  3. SIDNEY FRANCISCO

    Boa tarde, o seguro deveria levar em consideração o período que o segurado esta com o veiculo e
    sua utilização, estou indo para a 4 renovação de seguro do mesmo veiculo e nesse período utilizei somente 1 vez o guincho e nada mais. Isso quer dizer que a seguradora só ganhou e agora na renovação eles não estão levando isso em consideração, isso é uma puta sacanagem. Essa balança deveria ser mais equilibrada, assim ambos ficariam felizes e a renovação ficaria mais rápida e a seguradora manteria seu cliente, não dando oportunidade de outras seguradoras ganharem a cotação.

    Responder
  4. José Carlos Lopes de Sena

    Com relação ao perfil do cliente: sou um futuro cliente que nunca tive envolvimento em nenhum acidente até hoje, estando eu já com quarenta e um anos de habilitação. A preocupação em fazer um seguro se dar mais para Prevenir-me de um eventual pane em caso de uma viagem mais longa que por ventura eu faça. Quanto ao segundo condutor, que é meu filho, tem apenas 22 anos mas é tão responsável quanto eu., fato esse que entrego o veículo para ele sem preocupação.

    Responder
  5. ingrid

    Nunca me envolvi em um acidente, procuro um seguro para prevenir danos materiais e pessoais, mas tem que caber no meu bolso, e ter um bom atendimento caso for contratar. porque, tomo todos os cuidados necessários para não precisar do seguro, mas caso precise, quero ser atendida imediatamente.

    Responder
  6. REINALDO

    Seguro tem caber bolso, tenho a 4 anos e apenas 1 x usei guincho devido pane, estava na cidade mesmo, deveria ter nos fatores, bebidas, drogas, cigarro, entre outros, ja que nos somos mais reservados pagamos a mais por quem não é, entre outros. derevia ser em media 2 a 4 % veiculo, mas esta sendo maior……

    Responder
  7. Isaias de Almeida Costa

    Concordo com todos e acrescento: tenho 40 anos de habilitação. Em todos esses anos 1 roubo e uma colisão com PT causada por irresponsáveis que apostavam corrida em via pública em dia de chuva. O critério usado no perfil do condutor, me penaliza como já envolvido em sinistro. É justo?

    Responder
    • Minuto Seguros

      Atualmente a maior parte das seguradoras não pergunta em seu questionário de análise de risco (Perfil do Segurado) se o cliente teve veículos roubados/furtados nos últimos anos. Mas ainda temos empresas que fazem tal questionamento.

      Cada uma das seguradoras utiliza a sua base histórica de apólices (com ou sem sinistro), para avaliar qual a possibilidade de ocorrência de futuros sinistros para cada umas das variáveis consideradas. Estatisticamente, as seguradoras observam que pessoas que já se envolveram anteriormente em sinistros de grande monta (ex: perda total por colisão, roubo ou furto do veículo), apresentam uma probabilidade maior de se envolverem em novo eventos quando comparados com pessoas com um histórico de não ocorrência de sinistros recentes.

      Como são modelos matemáticos/estatísticos para definição do valor do seguro, a análise irá depender da quantidade de informações fornecidas pelos cliente. Então, para contemplar todas as situações (ex: fui indenizado por uma perda total mas o culpado foi outro motorista), a quantidade de perguntas seria ainda maior o que dificultaria o processo de contratação do seguro.

      Responder

Deixe uma resposta

É permitido HTML básico. O seu endereço de email não será publicado.

Assinar o feed deste comentário por RSS