Catalisador automotivo: qual sua função, problemas e preço

catalisador automotivo Catalisador automotivo: qual sua função, problemas e preço

Quer entender mais sobre o catalisador automotivo? Então, continue nos acompanhando para virar um craque no que diz respeito aos carros e às suas peças.

Diferentemente do que muitas pessoas imaginam, o catalisador automotivo não é um filtro. Na verdade, essa peça apresenta uma função muito importante para os carros, especialmente porque reduz a emissão dos gases poluentes dispensados na atmosfera.

Cote, compare e economize no seguro

Receba grátis até 17 cotações e escolha o seguro que cabe no seu bolso.

Logo Reclame Aqui A Minuto é Bicampeã do Prêmio Reclame Aqui.


No entanto, o cenário ideal para evitar a poluição por meio do mercado automobilístico passa diretamente pela fabricação de modelos 100% elétricos. Porém, como se sabe, a manutenção desse tipo de veículo é escassa e o Brasil dispõe de poucos modelos.

Por outro lado, embora não haja um forte mercado de veículos que não exigem o uso do catalisador automotivo, há inúmeros outros modelos híbridos disponíveis no país, que mesclam as funcionalidades do veículo elétrico àquele movido a combustão.

Qual é a função de um catalisador automotivo?

Basicamente, o catalisador automotivo serve para o controle dos gases que saem do escapamento. Por causa da combustão incompleta da gasolina que vai ao motor, o monóxido de carbono e vários compostos orgânicos voláteis se tornam o principal “produto” emitido pelo escapamento, gerando dessa forma gases extremamente nocivos.

Vale mencionar que, quando as temperaturas estão muito altas no motor, o nitrogênio do ar reage com o oxigênio para formar óxidos nitrosos. Esses nitrosos causam vários problemas, como a formação de um ácido que reage com a água na atmosfera, que pode até se transformar numa chuva ácida.

Sendo assim, sua função é transformar os gases nocivos em gases menos prejudiciais à atmosfera, por isso ele é tão importante para o carro e, claro, para o meio ambiente.

Como ele funciona?

É importante entender que o catalisador automotivo é uma peça ligada diretamente na transformação de poluentes do escapamento, incitando os gases a encontrarem uma maneira ideal de se converterem em gases menos nocivos. Algumas reações químicas que acontecem no conversor podem ser identificadas nesta sequência:

  • Monóxido de carbono + Oxigênio → Dióxido de carbono
  • Compostos orgânicos voláteis (gasolina parcialmente queimada) + Oxigênio → Dióxido de carbono + Água
  • Monóxido de nitrogênio + Monóxido de carbono → Dióxido de carbono + Nitrogênio

Nos que são chamados catalisadores automotivos padrão, a parte em que há a concentração, chamada colmeia de compostos, provoca essas transformações de uma maneira mais densa, impedindo a saída pelo escapamento do fluxo de gases nocivos. 

Ainda com dúvidas sobre o catalisador? Então assista ao vídeo abaixo e entenda com ajuda de um especialista qual é a função dessa importante peça do seu carro.

Como saber se o catalisador está com defeito?

Saber se o catalisador automotivo está funcionando corretamente é bem simples. Veja abaixo alguns sinais que podem ser analisados e que mostram possíveis problemas nesse importante componente do sistema de escape.

  • A luz de advertência do motor acesa no painel de instrumentos.
  • Perda de desempenho do motor, como dificuldade em acelerar.
  • Aumento no consumo de combustível sem motivo aparente.
  • Odor desagradável de ovo podre nos gases de escape.
  • Ruídos anormais vindos do sistema de escape.

Caso você perceba algum desses sintomas, é recomendável levar o veículo a uma oficina mecânica de confiança para um diagnóstico adequado. Um mecânico qualificado poderá determinar se o catalisador está com defeito ou se há outros problemas no sistema de escape.

O que faz o catalisador parar de funcionar?

Existem várias razões pelas quais um catalisador automotivo pode parar de funcionar adequadamente. Aqui estão algumas das causas mais comuns:

  1. Acúmulo de resíduos: com o tempo, o catalisador pode acumular depósitos de resíduos, como carbono, óleo e sujeira provenientes da queima do combustível. Esse acúmulo pode obstruir os canais internos do catalisador, reduzindo sua eficiência e levando a um mau funcionamento.
  2. Danos físicos: o catalisador está localizado no sistema de escape, o que o expõe a possíveis danos físicos, como impactos causados por objetos estranhos na estrada ou por dirigir em terrenos acidentados. Se o catalisador for danificado, pode ocorrer uma perda de eficiência ou até mesmo uma obstrução completa.
  3. Uso de combustível adulterado: a utilização de combustível de baixa qualidade ou adulterado, com impurezas ou teor de enxofre acima do recomendado, pode afetar negativamente o funcionamento do catalisador. Essas substâncias indesejadas podem danificar os materiais do catalisador e reduzir sua capacidade de converter os gases nocivos em substâncias menos prejudiciais.
  4. Falha em outros componentes do sistema de escape: problemas em outros componentes do sistema de escape, como sensores de oxigênio, velas de ignição ou coletores de escape, podem afetar o desempenho do catalisador. Se esses componentes não estiverem funcionando corretamente, o catalisador pode não receber a quantidade adequada de oxigênio ou a mistura ar-combustível pode estar desequilibrada, prejudicando seu funcionamento.
  5. Uso de aditivos não recomendados: a adição de aditivos ao combustível ou óleo do motor que não são recomendados pelo fabricante do veículo pode afetar adversamente o catalisador. Esses aditivos podem conter substâncias que danificam ou contaminam os materiais do catalisador, comprometendo sua eficiência.

Vale reforçar que sempre que você achar que está com algum problema no seu veículo o  ideal é levá-lo a uma pessoa especialista de sua confiança.

Quais cuidados ter com o catalisador?

Para que o catalisador automotivo funcione com perfeição, é necessário tomar algumas precauções e cuidados. A vida útil do veículo, assim como a segurança do motorista e dos seus usuários, está em questão e todo o cuidado deve ser tomado para evitar acidentes. Confira!

  • Dirija com cautela: quando você dirige com agressividade o carro é impelido a passar em buracos ou elevações de forma brusca, por exemplo, é muito provável que vá ocorrer algum tipo de problema. Portanto, a direção cuidadosa é essencial para que o veículo possa funcionar da melhor maneira e levar uma boa vida útil sem que sejam necessárias idas periódicas ao mecânico.
  • Cuidado na hora de abastecer: o abastecimento do carro é um processo que influencia diretamente na forma como ele vai funcionar. Assim, é importante sempre dar preferência a um posto de gasolina que trabalhe com combustíveis de qualidade, afinal, existem alguns componentes químicos que não devem ser utilizados.
  • Evite sobrecarga do veículo: sobrecarregar o veículo além da capacidade recomendada pode aumentar a carga sobre o motor e o sistema de escape, prejudicando o desempenho do catalisador.
  • Evite estacionar o automóvel em locais com folhas secas: o catalisador automotivo é uma parte do sistema de funcionamento do veículo que aquece muito. A temperatura desta parte do carro pode chegar a 600ºC, ou seja, o risco de incêndio é alto nesses casos, ainda mais se o clima estiver quente e seco.
  • Faça revisões periódicas do sistema de escape: verifique regularmente o estado do sistema de escape do veículo, incluindo o catalisador. Procure sinais de danos, vazamentos ou obstruções. Se notar algum problema, leve o veículo a uma oficina mecânica especializada para reparo ou substituição adequados.

Tire suas dúvidas

Veja abaixo as respostas para as principais dúvidas sobre o catalisador.

Qual o preço do catalisador?

O preço do catalisador automotivo pode variar bastante de acordo com o modelo. Em grandes e-commerces como o Magazine Luiza, o catalisador do Gol 1.0 G5 é encontrado por R$ 765,31, enquanto o do Fiat Ducato 2.3 chega a custar R$ 5.200,00.

O que acontece quando o catalisador está entupido?

Quando o catalisador do carro está entupido, podem ocorrer várias consequências prejudiciais para o desempenho do veículo. Aqui estão algumas das principais consequências do entupimento do catalisador:
  • Diminuição do desempenho do motor: o entupimento do catalisador pode resultar em uma restrição no fluxo de gases de escape, o que afeta negativamente o desempenho do motor.
  • Aumento do consumo de combustível: um catalisador entupido pode levar a uma ineficiência na queima do combustível. Isso pode levar ao  aumento no consumo de combustível, já que o motor precisa trabalhar mais para superar a obstrução do fluxo de escape.
  • Superaquecimento do sistema de escape: o entupimento do catalisador pode levar ao superaquecimento do sistema de escape, pois o fluxo restrito de gases aumenta a temperatura.
  • Aumento das emissões poluentes: quando o catalisador está entupido, a capacidade de converter gases tóxicos é comprometida, resultando em um aumento nas emissões de substâncias nocivas, como monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx) e hidrocarbonetos não queimados.

Ficou com alguma dúvida sobre o catalisador do seu carro? Mande pra gente nos comentários e terei prazer em te ajudar!

2 comentários sobre “Catalisador automotivo: qual sua função, problemas e preço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *