Home » Viagem

Conheça Machu Picchu e suas belezas históricas

Descoberta cientificamente em 1911, Machu Picchu é não apenas um dos principais destinos da América do Sul, como está entre os melhores lugares históricos do mundo para viajar. Essa pequena região localizada próxima ao município de Cusco, no Peru é considerada patrimônio mundial pela UNESCO, que a descreve como  “o legado tangível mais significativo da civilização inca”.

machu picchu

Estudos realizados indicam que a cidade perdida dos incas, como é conhecida, foi construída no século XV e é o principal símbolo do império inca. Localizada a cerca de 2400 metros, no alto de uma montanha, ela possui uma arquitetura diferenciada está em meio a inúmeras belezas naturais. Por tudo isso, está entre as 7 maravilhas do mundo moderno.

Seguro viagem para Machu Picchu

Um local tão incrível quanto Machu Picchu atrai turistas do mundo todo, inclusive do Brasil. Para desfrutar de uma viagem como essa sem preocupações, é importante estar protegido, portanto, é imprescindível contratar o seguro viagem.

Já imaginou se a sua bagagem é extraviada a caminho de lá? E se, por ventura, precisar de atendimento médico devido a algum imprevisto? São duas situações em que o seguro viagem vai lhe dar total apoio para garantir que você tenha tranquilidade no seu passeio.

Para viajar tranquilo, faça uma cotação com a Minuto Seguros, uma das maiores corretoras do Brasil. Basta preencher o formulário clicando no botão abaixo. Se preferir, ligue grátis para 0800 773 3000 e fale com um de nossos consultores

COTE SEGURO VIAGEM

O que explorar em Machu Picchu?

Trilha Inca

A principal forma de se chegar a Machu Picchu é por meio da Trilha Inca ou “Camino Inca”, um dos passeios mais realizados pelos turistas que visitam a região. São diversas opções de trajetos com dificuldades e durações diferentes. A mais comum delas é a clássica, que leva quatro dias para ser feita.

Se você optar por esse roteiro, terá o privilégio de chegar a Machu Picchu por meio da Inti Punku, que na língua quéchua significa Porta do Sol. Ao chegar neste local nas primeiras horas da manhã, poderá presenciar um lindo nascer do sol, cujos raios adentram o portal e proporcionam uma belíssima visão.  

Esse trajeto, que começa em Cusco, tem 43 quilômetros ao todo, com caminhadas que duram entre 6 e 8 horas, além de pernoites realizados em acampamentos. Se você preferir uma trilha mais tranquila, pode escolher a que dura um dia, com pernoite em Aguas Calientes.

Vale Sagrado dos Incas

Próximo à cidade de Cusco, encontra-se o Vale do Rio Urubamba, conhecido como Vale Sagrado dos Incas. Com cerca de 100 quilômetros de extensão, que começa no povoado de Pisac e vai até Machu Picchu, ele é um espetáculo de natureza e história. São diversos riachos, fauna e flora abundantes, diversos riachos que surgem em meio às montanhas, além de ter inúmeras características preservadas que remontam ao tempo dos incas.

Entre as principais atrações que se encontram por lá, está a cidade de Ollantaaytambo, uma região que possuía templos, era forte na parte agrícola e centro administrativo no império inca. Portanto, vale conhecer o local, ainda mais por preservar boa parte das ruínas.

Vale visitar também o vilarejo de Maras, onde estão as Minas de Sal. Lá, são mais de três mil poços de sal que são enchidos naturalmente, pois recebem água salgada de uma fonte. Outra dica é passar pela Vila de Moray, que possui uma cratera com uma estrutura incrível, preparada pelos incas para o estudo agrícola.

Montanhas Huayna Picchu e Machu Picchu

Se além de viver a história você também gosta de aventura, vale subir as montanhas Huayna Picchu ou a Machu Picchu, que possuem antigas trilhas incas que levam até o topo. Ambas encontram-se já na cidade sagrada de Machu Picchu.

Para subí-las, é necessário garantir os ingressos na mesma compra em que você adquirir as entradas para visitar Machu Picchu e, de preferência, com certa antecedência, pois elas são concorridas.

Na Huayna Picchu, por exemplo, existem apenas dois turnos de visitas por dia realizados pela manhã, nos quais são liberadas apenas 200 pessoas em cada. Já para a Machu Picchu, o número de visitantes permitidos por grupo é de 400.

Trilha Salkantay

Mais uma dica para os amantes de aventura: Salkantay está na lista das 25 melhores trilhas do mundo pela revista National Geographic Adventure Travel. Com isso, é preciso estar bem preparado, pois ela está a mais de seis mil metros acima do nível do mar e suas temperaturas variam entre -5ºC e 26ºC.

Ao todo, são cinco dias e quatro noites para percorrer caminhos entre as montanhas, para apreciar a beleza dos cenários naturais, como Lago Humantay, e conhecer a cultura dos povos que residem no decorrer do trajeto.

Para realizar a trilha, é possível optar pelo modo tradicional, que é por meio de acampamentos ao longo do percurso, ou se quiser mais conforto, recorrer ao pacote do Mountain Lodges Peru.

O que você precisa saber para visitar Machu Picchu

Quando visitar

O período ideal para visitar Machu Picchu é entre os meses abril a outubro, por conta da estação seca que predomina no local. De novembro a março é a época chuvosa, portanto, por ser um local com diversas encostas, podem ocorrer deslizamentos que impeçam de desfrutar do passeio.

Se você quiser pagar mais barato e ainda evitar um número de pessoas muito grande nos passeios, evite fazer essa viagem no mês de julho, por conta da alta temporada.

Regras de visitação

Para visitar Machu Picchu, você deve ficar atento às regras que precisará seguir. É necessário comprar ingresso no site oficial com antecedência para garantir o acesso à cidade sagrada durante a sua viagem. Você pode adquirí-los para um dos nove horários de visitação programados ao longo do dia, que vão das 6h às 14h. Cada passeio pode durar no máximo quatro horas. A contratação de um guia para a realização do passeio é obrigatória.

Alguns objetos são proibidos no local. Portanto, lembre-se de não portar itens como drone, pau de selfie, tripé e carrinho de bebê, por exemplo. O site oficial de Machu Picchu disponibiliza uma lista completa do que não se pode levar à cidade sagrada peruana.

Documentação necessária

Para entrar no Peru, desde janeiro de 2019 é necessário estar com o passaporte com validade de, no mínimo, seis meses. A embaixada do Brasil em Lima, a capital peruana, recomenda que o documento esteja com, pelo menos, oito meses de validade para evitar quaisquer problemas.   O Peru é um dos países que não exigem visto para entrada.

É preciso apresentar também o Certificado Internacional de Vacinação ou profilaxia contra a febre amarela para ingressar no país. Portanto, se tiver planejado sua viagem para Machu Picchu, lembre-se de tomar essa vacina com antecedência de dez dias, no mínimo.

Cuidados com a altitude

Para quem não está acostumado com uma altitude muito elevada, como é o caso de Cusco (3400 metros) e Machu Picchu (2400 metros), é normal ter o soroche, ou mal de altitude. Entre os sintomas mais comuns estão tontura, náuseas, dor de cabeça e falta de ar.

Para minimizar os efeitos da altitude, recomenda-se tomar bastante água, evitar alimentos gordurosos utilizar o chá de coca. Se possível, permaneça um dia na cidade de Cusco, sem fazer muitos esforços, para se acostumar com essa condição antes de realizar os esforços que a visita a Machu Pìcchu demandam.

Tem outras sugestões de passeios em Machu Picchu? Deixe nos comentários abaixo!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *