1. Home
  2. »
  3. Manutenção

Comando de válvulas: o que são, tipos, como funciona e para que serve

Quer entender mais sobre o comando de válculos? Então, continue nos acompanhando para virar um craque no que diz respeito aos carros e às suas peças.

Você sabe quais são os componentes que fazem o motor do carro funcionar? São muitas as peças responsáveis por manter essa parte fundamental do veículo em ação. Uma delas é o comando de válvulas, que tem extrema importância.

Para entender melhor seu papel no veículo, é preciso conhecer suas características e como a sua função é desempenhada.

Ainda sem seguro para seu carro?
Cote grátis seu seguro auto com a Minuto Seguros, a maior corretora online do Brasil, e receba cotações de até 16 seguradoras de uma só vez.
COTE SEGURO AUTO GRÁTIS

Entenda o comando de válvulas

O comando de válvulas tem uma composição que consiste em um formato cilíndrico no qual estão fixados os conjuntos de peças ovaladas, chamadas cames ou ressaltos. O veio é uma peça que tem um conjunto de apoios que servem para assegurar a estabilidade durante o movimento rotativo dos pistões.

Dependendo do modelo do carro, o comando de válvulas pode estar localizado em pontos diferentes. Em alguns motores, há a possibilidade de existirem duas árvores de comando, localizadas no cabeçote do motor.  Nesses modelos, uma das árvores de comando fica nas válvulas de admissão e a outra, nas válvulas de escape.

Qual a função do comando de válvulas?

O comando de válvulas de um veículo conta com uma peça-chave para o seu funcionamento: a árvore de cames. Peça que também é conhecida como árvore de comando de válvulas, eixo de comando de válvulas ou veio de ressaltos. É por meio deste componente mecânico que as válvulas de admissão e escape abrem e fecham, permitindo a entrada e saída dos gases no cilindro.

A árvore de cames, como o nome já diz, possui alguns cames (também conhecido como ressalto) ao longo de seu corpo. Quando a árvore gira, o came aciona um impulsor que pressiona a haste da válvula para baixo, fazendo com que ela se abra. Uma mola acoplada na haste, faz com que a válvula se feche posteriormente, completando o ciclo.

Esses movimentos que ocorrem devem ser feitos em sincronia com o balanço do pistão. É importante frisar que há uma relação direta entre o formato dos ressaltos e a forma como motor vai operar, independente se a rotação for baixa ou alta.

Relação em baixa velocidade

Essa é a forma mais simples de funcionamento do Comando de Válvulas. Isso acontece da seguinte maneira: no momento em que o pistão começa a se movimentar para baixo, no curso de admissão, a válvula que está ligada diretamente a esse sistema se abrirá. Esta mesma válvula deve fechar, enquanto o pistão continuar descendo.

Esse processo deve ser feito até que ela se feche completamente, ou seja, até o momento que o pistão atingir o ponto mais baixo, durante a movimentação. Quando isso acontece, o ciclo se reinicia e começa da estaca zero.

Relação em alta velocidade

Após compreender a questão do comando de válvulas em baixa velocidade, entender o funcionamento em alta velocidade também é relevante.

O processo começa assim: no momento em que a válvula de admissão abre e o pistão começa a se movimentar no curso de admissão, em baixa velocidade, ocorrerá uma aceleração da mistura ar e combustível no tubo de admissão, que entrará no cilindro.

Nesse caso, assim que o pistão chega ao fim do curso de admissão, a mistura de ar e combustível, estará se movendo em alta velocidade. E assim que ela atingir essa velocidade, a mistura dos dois itens será muito maior e mais frequente. Assim, será preciso que a válvula de entrada permaneça aberta por mais tempo, diferente do que acontece quando ela está em baixa velocidade.

Durante a relação do comando de válvulas em alta velocidade, existe também a necessidade de que ela se abra mais a velocidades maiores e constantes. Isso é determinado pelo perfil do ressalto

Tipos de comando de válvulas

Você sabia que o existem diferentes tipos de comando de válvulas? Cada um é adequado a determinado tipo de motor. Saiba quais são eles:

SOHC – Comando de válvulas simples no cabeçote

Este tipo de comando possui apenas uma árvore de cames presente no motor. Ele é o único responsável pela abertura e fechamento das válvulas de admissão e escape. Geralmente é encontrado em motores que utilizam apenas duas válvulas por cilindro.

DOHC – Duplo comando de válvulas no cabeçote

Como o próprio nome já indica, o DOHC utiliza duas árvores de comando para controlar as válvulas. Diferentemente do comando descrito acima, ele costuma estar presente em veículos que possuem quatro válvulas por cilindro. Dessa forma, uma das árvores é responsável pelas de admissão, enquanto a outra fica para as de escape.

OHV – Comando de bloco

Este sistema era utilizado em automóveis mais antigos. Os motores que possuem este tipo de distribuição tem o comando instalado no bloco, e não no cabeçote, como é o caso dos outros apresentados acima. Assim, o comando das válvulas é realizado de forma indireta, por meio de varetas e balancins.

O que acontece se o comando de válvula está ruim?

Você precisa dar atenção ao comando de válvulas, pois uma fala nesse sistema irá fazer o consumo de óleo e combustível subir bastante. Além disso, se os problemas forem ignorados por muito tempo seu veículo pode ter danos graves no motor.

Sendo assim, faça sempre a manutenção preventiva e sempre que notar algum problema o ideal é fazer a manutenção das peças.

Como evitar problemas no comando de válvulas

Em primeiro lugar, é fundamental realizar manutenção preventiva no seu veículo. Caso alguma peça esteja prestes a quebrar, ou mesmo com um mau funcionamento, um problema maior no futuro pode ser evitado quando a revisão é feita.

Outro ponto importante é trocar o óleo regularmente, conforme a periodicidade indicada a cada mudança feita. Se o óleo estiver com o nível baixo ou sujo, pode desgastar as sedes e as pontas das válvulas com o passar do tempo. Além disso, podem impedir que elas funcionem corretamente se causarem bloqueios.

Todas as peças que compõem o comando de válvulas devem estar apertadas na medida certa. O excesso de folga ou o aperto em demasia também contribuem para a diminuição da vida útil das peças.

Para finalizar, outra dica importante: caso a troca de qualquer peça seja necessária, não escolha a versão paralela. Esta opção, que inicialmente pode parecer barata, tem boas chances de causar uma dor de cabeça no futuro. Opte sempre por peças originais.

Tire suas dúvidas

Abaixo você confere as repostas para as principais dúvidas sobre o comando de válvulas.

O que são as valvulas do motor?

Antes de explicar o funcionamento do comando de válvulas, é importante mostrar qual o papel das próprias válvulas dentro do motor. Elas são dispositivos que controlam a entrada e saída de gases dentro dos cilindros que fazem o motor ligar.

Cada cilindro do motor possui duas válvulas: uma é a de admissão, por onde os gases entram. Após isso, acontece a combustão e, em seguida, esses gases são liberados através da outra válvula, a de escape.

Qual a relação das válvulas com o desempenho do veículo?

Na hora de escolher um automóvel, você deve ter notado que, de modo geral, ele pode ter oito (8v) ou dezesseis (16v) válvulas. No caso de um veículo 8v composto por quatro cilindros, são duas válvulas para cada cilindro. Já o 16v apresenta quatro válvulas por cilindro. Pois saiba que esses números são fatores que têm relação direta com o desempenho do carro.

Um veículo que conta com oito válvulas funcionará muito bem em baixa rotação e também na hora do arranque, com maior agilidade. Já um 16v consegue obter mais ar para a queima de combustível que o de 8v ganhando em desempenho quando o carro está em alta rotação. Em estradas, um veículo de 16v proporciona maior economia de combustível, enquanto o de 8v tem menor gasto na cidade.

Quais os defeitos mais comuns nas válvulas do motor?

Como todos os componentes presentes em um automóvel, o comando de válvulas também está suscetível a defeitos. Por isso, é importante saber como detectá-los e, principalmente, como solucioná-los. Nós selecionamos alguns sinais perceptíveis que podem significar que as válvulas do seu motor estão estão desreguladas.

Se você observar fumaça saindo da região do motor no momento em que der a partida, o problema pode estar no comando. Neste caso, é possível que haja desgaste das vedações da válvula. Quando isso acontece, o óleo passa em excesso no sistema, o que ocasiona um defeito.

Existem outros sintomas que também podem indicar que as válvulas estão desreguladas: perda de potência, sons estranhos (como batidas de peças pequenas), aumento no consumo de combustível e até superaquecimento do motor são alguns deles. Podemos acrescentar ainda a queima excessiva de óleo, que piora a dirigibilidade e aumenta a emissão de poluentes.

 

3.17 / 12 votos

[addtoany]

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.