Virabrequim: o que é, para que serve e principais problemas

Imagem 3D de um virabrequim.
Virabrequim é uma importante peça do motor do seu carro.

O virabrequim é um componente indispensável para o motor do seu carro. Mas você está ciente de sua função e sabe identificar problemas?

O motor de um carro depende de várias peças para funcionar em harmonia. O virabrequim é uma das mais importantes por transformar o movimento dos pistões em movimento rotativo, gerando a força necessária para o veículo andar.

Cote, compare e economize no seguro

Receba grátis até 17 cotações e escolha o seguro que cabe no seu bolso.

Logo Reclame Aqui A Minuto é Bicampeã do Prêmio Reclame Aqui.


Dada essa importância, falhas nessa peça podem afetar significativamente o desempenho do carro.  Nesta matéria, apresentaremos todos os detalhes sobre o virabrequim, seus defeitos comuns e como consertar. Também discutimos os custos de reparo ou substituição, ajudando você a tomar a melhor decisão para manter seu veículo funcionando perfeitamente.

O que é o virabrequim?

O virabrequim, também conhecido como árvore de manivelas, cambota, veio de manivelas, eixo de manivelas ou árvore de manivelas, é um eixo presente em motores de combustão interna e desempenha um papel crucial na transformação do movimento linear dos pistões em movimento rotativo.

Ele é uma peça utilizada para que a energia gerada pela combustão do combustível possa ser utilizada para movimentar o veículo. Por ser muito exigido e estar em contato com partes muito quentes do veículo, ele precisa ser forte e robusto. Por isso, é geralmente constituído por aço forjado, material que proporciona boa resistência. Na imagem, é possível verificar um exemplo da peça, ainda nova.

Existem três tipos principais de virabrequins:

  1. Virabrequim monobloco: usado em motores menores e mais simples, é fabricado em uma única peça.
  2. Virabrequim modular: composto de várias peças unidas, é comum em motores maiores e mais complexos.
  3. Virabrequim forjado: fabricado por forjamento, é mais resistente e durável, ideal para motores de alto desempenho.

Como funciona o virabrequim?

Para entender como o virabrequim funciona, primeiro você precisa saber como é o seu trabalho junto ao sistema de ignição. Para começar, veja como ocorre o ciclo de operação do motor de combustão interna:

  1. Admissão: a mistura de ar e combustível entra no cilindro.
  2. Compressão: o pistão sobe, comprimindo a mistura.
  3. Combustão: a vela de ignição inflama a mistura, empurrando o pistão para baixo com grande força.
  4. Exaustão: o pistão sobe novamente, expulsando os gases de combustão.

Quando a chave dá a partida no carro, a bobina eleva a tensão da bateria até que, aplicada às velas de ignição, é gerada a faísca que queima a mistura ar-combustível dentro do cilindro do motor. Com isso, as válvulas são responsáveis por controlar a entrada de gases no cilindro, o que acontece por meio da válvula de admissão, e a saída, que se dá pela válvula de escape.

O virabrequim atua na fase de combustão. Isso acontece porque ele está ligado aos pistões, que, acionados pelo comando de válvulas, abrem e fecham. Vale ressaltar que os pistões se movimentam para cima e para baixo, enquanto o virabrequim converte essas forças para um movimento circular, que faz com que o veículo ande para frente. Isso acontece porque ele está conectado também ao volante e às rodas.

Quais os principais problemas do virabrequim?

Como o virabrequim executa uma função importante e é muito exigido enquanto o veículo roda, atentar-se às suas condições é fundamental. Caso não seja feita a manutenção correta ou a troca da peça, se necessário, ela pode apresentar rachaduras ou ficar deformada, por exemplo.

Para saber se o virabrequim está com problemas, preste atenção a alguns sinais que indicam possíveis danos, como:

1. Desgaste dos mancais

Quando as folgas dos mancais aumentam, ou as forças de um motor turbo extrapolam o limite de torque, pode ocorrer desgaste rápido e excessivo dos mancais. Esse desgaste pode causar superaquecimento e levar os mancais a incandescerem, chegando ao ponto de travar, o que provoca o colapso total do motor.

2. Trincas e quebras

O virabrequim pode sofrer trincas ou até mesmo quebrar devido a cargas excessivas, fadiga do material ao longo do tempo ou defeitos de fabricação. Essas falhas podem levar à parada imediata do motor e exigem a substituição completa do virabrequim.

3. Desbalanceamento

Desbalanceamentos no virabrequim podem ocorrer devido ao desgaste irregular, instalação incorreta ou danos causados por impactos. O desbalanceamento resulta em vibrações excessivas, que podem causar o desgaste prematuro de outros componentes do motor.

4. Falha na lubrificação

A falta de lubrificação adequada é uma das principais causas de falhas no virabrequim. Isso pode ser devido a níveis baixos de óleo, óleo de má qualidade ou problemas no sistema de lubrificação. Sem lubrificação, os componentes metálicos sofrem desgaste acelerado, o que pode levar a falhas graves no motor.

5. Corrosão

A corrosão pode ocorrer devido à exposição a ambientes agressivos, como umidade elevada ou produtos químicos. A corrosão enfraquece a estrutura do virabrequim, aumentando o risco de trincas e falhas.

6. Folga no virabrequim

 A folga no virabrequim ocorre quando há um espaço excessivo entre o virabrequim e os mancais nos quais ele gira. Isso pode ser causado pelo desgaste dos mancais, lubrificação inadequada ou desgaste do próprio virabrequim.
Quando essas folgas se tornam significativas, o virabrequim não consegue operar de maneira eficiente, resultando em problemas graves para o motor.

Além do próprio virabrequim, essas falhas podem causar danos em outras partes do motor, como pistões, bielas, mancais e até nas válvulas. Em casos mais graves, questões no virabrequim podem levar o motor a fundir.

Se seu veículo estiver com alguns desses sinais, é importante levá-lo a um mecânico de confiança.

Como identificar os problemas do virabrequim?

Identificar problemas no virabrequim antes que eles se tornem graves pode salvar seu motor de falhas catastróficas e evitar custos elevados de reparo. Aqui estão os principais sinais e métodos para identificar problemas no virabrequim:

1. Desempenho reduzido do motor

Quando o virabrequim está desgastado ou danificado, a eficiência do motor diminui. O motor pode ter dificuldade em acelerar e parecer mais fraco do que o normal. Isso pode ser causado pelo desgaste nos pinos de mancal ou folgas excessivas nos mancais, que comprometem a transferência eficiente de energia dos pistões para o movimento rotativo do virabrequim.

2. Excesso de fumaça no escapamento

Se o virabrequim estiver desgastado ou danificado, pode causar uma queima ineficiente do óleo ou do combustível. Isso resulta em fumaça azulada ou preta saindo do escapamento. A fumaça azulada indica que o óleo está sendo queimado dentro dos cilindros, possivelmente devido ao desgaste dos selos ou anéis de pistão. A fumaça preta pode indicar uma mistura de combustível rica demais, influenciada por problemas no virabrequim que afetam a sincronização do motor.

3. Consumo excessivo de óleo

Um consumo excessivo de óleo é outro indicador comum de problemas no virabrequim. Se você perceber que precisa adicionar óleo ao motor com mais frequência do que o normal, pode ser um sinal de vazamentos ou que o óleo está sendo queimado dentro dos cilindros.

Isso pode ocorrer devido a danos nos selos ou vedação inadequada ao redor do virabrequim, permitindo que o óleo escape para áreas onde não deveria estar.

Monitorar esses sinais e realizar inspeções regulares são medidas essenciais para garantir o bom funcionamento do virabrequim e do motor. Se você notar qualquer um desses problemas, é importante buscar a ajuda de um mecânico qualificado para realizar um diagnóstico detalhado e executar os reparos necessários antes que ocorram danos mais significativos.

Tire suas dúvidas

Veja abaixo as principais respostas sobre as dúvidas do virabrequim.

Qual é a vida útil do virabrequim?

Uma peça essencial como essa é sempre motivo de atenção para o dono do carro. Por isso, também é fundamental saber qual é sua vida útil média.

Não é possível estimar uma quilometragem exata, pois isso depende de uma série de fatores. Como o motorista conduz o veículo, por exemplo, é um deles. Outro ponto que também tem influência é o tipo de terreno em que o automóvel roda com mais frequência, se é no campo ou na cidade.

Assim, pode-se dizer que o virabrequim deve ter uma duração que vai de 150 mil até 300 mil quilômetros rodados. Porém, se o carro não for bem cuidado e utilizado, é possível que o componente não chegue aos 150 mil km.

Quanto custa trocar o virabrequim?

O preço da troca do virabrequim não é dos mais baratos, chegando a custar entre R$ 600 e R$ 800,00 dependendo do modelo.  Antes de tomar qualquer decisão, consulte seu mecânico, pesquise valores de reparos e das peças novas e veja o que vale mais a pena para você e o seu carro.

Trocar ou retificar o virabrequim danificado?

O virabrequim danificado pode ocasionar problemas em outras peças e, com o tempo, até mesmo causar uma quebra que faça com que você fique na mão. Para evitar passar por uma situação incômoda como essa, é necessário identificar os danos quanto antes para poder resolvê-los. Porém, será que vale mais a pena comprar uma peça nova ou repará-la no mecânico?

O reparo do virabrequim pode ser uma opção viável quando seu eixo estiver deformado, por exemplo, ou mesmo se as folgas axiais não estiverem de acordo como deveriam. De qualquer maneira, instalar uma peça nova significa uma vida útil renovada. Ela contribui para que a dirigibilidade e o desempenho do veículo mantenham-se com bom nível por mais tempo.

Posso andar com problemas no virabrequim?

Não, pois rodar com um virabrequim em mau funcionamento pode trazer problemas também para outras peças do veículo. Como ele está diretamente conectado aos pistões, estes podem sofrer danos graves. Bielas empenadas e a provocação da batida de metais com metais são outros exemplos de possíveis danos.

Sendo assim, se seu carro apresentar um dos sinais acima ou outros como folgas axiais, etc., é importante se dirigir a um mecânico de confiança.

Ficou com alguma dúvida sobre o funcionamento do virabrequim? Mande para a gente nos comentários!

2 comentários sobre “Virabrequim: o que é, para que serve e principais problemas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *