Aqui no blog da Minuto Seguros você encontra dicas e notícias sobre seguros, carros, casas, eletrônicos, viagens e muito mais. Acesse e confira nosso conteúdo.

Minuto traça o mapa do seguro auto no Brasil

Mapa do seguro autoA Minuto Seguros traçou um mapa do seguro auto no Brasil, analisando a relação entre renda (per capita, dados do IBGE referentes a 2012) e seguros (a proporção de veículos expostos a seguros por cada 100 veículos circulantes na frota).

O levantamento foi feito pelo CEO da Minuto, Marcelo Blay, que analisou diversas variáveis para entender o motivo da porcentagem de carros segurados não ultrapassar os 30% em média, desde 2006.

Olhando os estados isoladamente, a Bahia surpreende ao ser o estado que mais compra seguro de carro no país. A proporção de automóveis segurados, entre julho de 2006 a junho de 2014, é de 36%.

Curiosamente, os estados mais ricos e/ou populosos não encabeçam a lista. São Paulo aparece em 4º lugar; Rio de Janeiro em 6º; Minas Gerais em 18º; Paraná em 17º e Rio Grande do Sul em 13º lugar.

Fatores não influenciam

Diferentemente do que se poderia imaginar, as disparidades regionais como nível educacional e acesso a saneamento básico não são fatores que ajudam a entender tamanha diferenciação quando o assunto é o seguro de carro.

Também não se pode dizer que a violência urbana influencia, pois os dados de roubo e furto também foram analisados e não afetam diretamente os resultados.

De qualquer modo, fica claro que o desafio de elevar o volume de seguros de automóveis no Brasil persiste independentemente do Estado. Numa conta simples, se a média nacional atingisse simplesmente a média da Bahia (36%), para uma frota circulante de cerca de 46 milhões de automóveis, em junho de 2014, teríamos mais 2,5 milhões de veículos segurados no mercado brasileiro. Se a penetração chegasse a 40,1%, o aumento se traduziria em 4,5 milhões de novas apólices.

Veja a tabela completa e mais detalhes na matéria veiculada na Revista Apólice.

Deixe uma resposta

É permitido HTML básico. O seu endereço de email não será publicado.

Assinar o feed deste comentário por RSS